Garrison Eines

Skeptical Spinner who Solves Misteries

Description:

Garrison aparenta ter mais de 40 anos; é budista hindu, negro, careca, fuma cachimbo e ama jazz. Seu hobby é tocar contrabaixo acústico na Royal Street Band na Nova Orleans da Terra Azul.

Ele sempre usa um chapéu preto. Usa também um óculos de lente pequena e retangular e levemente azulada.

Ele ainda tem uma marca, uma queimadura, nas costas da sua mão direita. Como se um ferro em brasa o tivesse marcado. O símbolo é um triângulo, com um quadrado dentro, este por sua vez com um círculo dentro, e este círculo, dividido em quatro setores por uma cruz.

Garrison_Eines.jpg

Garrisson não costuma falar sobre seu passado, mas especialmente não gosta de tocar no assunto dessa marca. Aparentemente lhe traz lembranças dolorosas. Todavia ele está sempre acariciando a marca quando está pensando. É como se ele gostasse de manter a dor por perto para jamais esquecer pelo que quer que seja que tenha passado.

Se veste de maneira elegante, sempre com uma camisa de manga comprida branca, uma gravata preta fina de ponta reta, calça preta e cinto preto. Por sobre a camisa, usa sempre uma jaqueta de couro preta, mas de corte bastante elegante, algo que se assemelha mais a um blazer. Em sua mão direita usa um anel de um estranho metal de um azul-platina com uma estranha inscrição gravada nele. Ele aprecia um bom whisky, mas sua preferência mesmo é por um bom conhaque.

Costuma andar sempre com um diapasão à mão. Ele utiliza tanto para afinar seu contrabaixo, quanto para “medir as ondas vibratórias das dimensões”, ou para detectar as mais diversas coisas.

Bio:

Garrisson Eines é um amante de qualquer mistério que se oponha perante ele. Desde cedo sua mente analítica o impôs questionar a existência de todas as coisas. Ao ponto de Garisson perceber que a própria noção de existência como a maioria do mundo a entende seria uma ilusão. Diante dos olhos de Garrison revelou-se um mundo multifacetado e além do que qualquer mente jamais poderia abarcar. E mesmo esse mundo de caráter fantástico, Garrisson acredita que possa ser apenas parte de uma ilusão maior. Para ele a realidade está sempre se desconstruindo e reconstruindo, incessantemente, a partir de nossas percepções. Ainda assim ele persegue incessantemente para além das ilusões.

Bem treinado em combate corpo a corpo – principalmente em técnicas de torção de aikido – e com porte atlético; todavia prefere usar as suas fiéis armas de fogo que são de estimação. Uma delas, a magnum 45 totalmente negra, ele batizou de blackbird (em homenagem ao clássico do jazz, bye-bye blackbird) e a outra a beretta 9mm cromada que ele chama de bluejay. Ávido leitor de Schpenhauer, Garrisson é bastante empático e simpático com seus colegas de trabalho. Gosta de conversar e contar piadas, todavia, não gosta muito de ser tocado.

Garrison Eines

Fundação V: Strange Worlds HouseWayne HouseWayne