Fundação V: Strange Worlds

Yomi no Kuni

Ninjas e Onis no Japão

Os investigadores da Fundação, Rachel Kajiura e Artyom Lesnitsky, chegam ao Japão para investigar uma ameaça de um grupo terrorista desconhecido de detonar uma bomba quântica em Tokyo. São recebidos por dois oficiais da Polícia Metropolitana de Tokyo.

A Tenente Noriko Huyashi os leva até o local onde os terroristas fizeram um ataque de advertência. O armazém que existia no lugar simplismente desapareceu. Kajiura percebe que a energia quântica do lugar não foi essencialmente afetada, mas que o local parece ter sido enviado para outra dimensão. Ela percebe que pode ser capaz de reverter o processo.

Indo para o hotel, Rachel resolve ficar no lounge bar enquanto investiga o caso. Um executivo japonês se aproxima e tenta estabelecer conversa com ela, oferecendo uma bebida. Ela o ignora enquanto se concentra no caso. Ao terminar, ela vê que ele deixou um drink para ela e o bebe. Ao invés de ir dormir, pede um táxi e resolve ir até um endereço que descobrira em um caso anterior, ao examinar a Equação Laqueus. No caminho sente-se sonolenta e vê quando um carro preto fecha o táxi. Tenta ligar para Artyom, mas desmaia antes.

No hotel, Artyom estranha que Rachel não esteja no quarto dela e desce para o lobby. Pergunta sobre ela e o atendente informa que ela pediu um táxi quarenta minutos antes. Ele consegue localizar o celular de Rachel e o segue.

Perto de um cais do porto, descobre o táxi usado por Raquel. O taxista foi morto por um tiro de pistola na cabeça. Artyom acha o celular de Rachel debaixo do banco. Olhando em volta, ele percebe que um barco pesqueiro está partindo do cais. Aquela hora da noite, isso parece estranho. Ele alcança o cais a tempo de ver que há homens armados no barco. Artyom nada até o barco. Derruba um marujo e um vigia que estavam no convés no mar, sem que os tripulantes no interior do barco percebam. 

Lá dentro da cabine do pesqueiro, Rachel acorda. Ela está amarrada em uma cadeira e é interrogada pelo japonês que lhe ofereceu a bebida. Quatro outros homens armados estão na cabine. O homem se apresenta como Shigeru Hamada. Ele pega a tantô que Kajiura carrega, conta a história da criação da espada e diz que sua organização buscava por essa espada por centenas de anos. Quando Kajiura a molhou no sangue demoníaco, alguns dias antes em New Orleans, eles finalmente descobriram a localização dela e da espada.

Artyom chega, joga a âncora no mar, fazendo com que o barco dê um tranco e desequilibrando a todos. O russo entra na sala, rapidamente derrubando dois dos guarda-costas. Rachel tenta pegar a espada das mãos de Hamada e Artyom consegue soltá-la. Hamada e os outros dois guarda-costas são derrotados.

Eles voltam ao porto e avisam a detetive Noriko sobre os prisioneiros. Rachel percebe que a ameaça da bomba quântica foi uma armação criada apenas para atrair ela e a Fundação até o Japão, e que o verdadeiro objetivo era a tânto de sua família.


Antes da polícia, resolvem ir até o endereço que Rachel havia conseguido e que parecia estar relacionado à tânto. Inventam uma história para entrar, mas estranhamente o porteiro a confirma e diz que eles são esperados.

Ao chegarem ao 15o andar da Torre, eles são recepcionados por uma bela jovem japonesa vestida em um tradicional kimono. Ela os leva até um amplo salão com vista para o skyline de Tokyo. Um velho japonês careca, usando roupas que parecem ter sido feitas para um samurai e carregando uma katana e uma wakizahi em lados opostos, demonstrando que sabia lutar no estilo duas espadas, se levanta e dirige-se em direção a Rachel.

"Se soubesse que você a traria até nós, não teria mandado meus homens a buscarem", diz o japonês, apontando para Rachel e a tânto.

Ele conta como a espada foi criada por sua ordem, em um ritual para libertar o Rei dos Onis do mundo das trevas – Yomi-no-kuni. Mas que as tropas do Imperador chegaram antes e impediram o ritual de se concluir, matando a maioria de seus irmãos e escondendo a espada em um templo xintóista. E com a espada eles poderão completar o ritual, trazer o Lorde do Submundo para o Japão e expulsar todos os estrangeiros e os impuros.

Rachel percebe que estão cercados por dez ninjas, que se escondem nas sombras do salão. Ela avisa a Artyom, que tenta desafiar Ichikawa para um combate. O velho japonês se recusa a lutar contra quem considera um inferior e ordena que seus asseclas ataquem.

Primeiramente quatro dos ninjas atacam. Rachel consegue derrubar dois deles e Artyom derruba os outros dois. Então a japonesa ataca Rachel com duas tonfas, enquanto os outros seis ninjas atacam Artyom.

A luta é brutal. A jovem japonesa é extremamente rápida e acerta Rachel com vários golpes de sua tonfa, mas Rachel também a fere com a tânto. rtyom pega uma das várias katanas expostas na parede e derruba um dos ninjas, mas outro deles o acerta com um shuriken que quase corta sua jugular. Furioso, ele larga a katana e pega um sofá, girando-o e arremessando sobre os ninjas, quabrando o vidro da janela e derrubando três deles sobre a rua, 15 andares abaixo.

Rachel tenta um ataque contra a japonesa, mas erra horrivelmente e vê sua tânto escorregar e cair pela janela quebrada. Ao mesmo tempo, Artyom pega de novo a katana e derrota os dois últimos ninjas. 

Enquanto isso, o velho Ichikawa observava o combate e entoava um ritual. Assumindo sua verdadeira forma, a de um horripilante oni, ele ri ao ver a tânto cair em direção à rua lá embaixo. Com um salto, ele se joga pela janela quebrada, atrás da espada.

Lá fora, o dia amanhece em Tokyo. Artyom persegue o oni, utilizando garras ninjas para descer pela fachada do prédio. Rachel consegue derrotar a japonesa, empurrando-a para uma queda mortal até a rua. Ela desce atrás de sua tânto, mas pelo elevador.

Artyom chega primeiro e ataca o oni enquanto esse procurava a tânto. Ele o empurra contra um ônibus, que atinge o demônio japonês com um baque pesado. Ainda assim, o oni se levanta. Nesse instante, Rachel chega na rua e consegue achar sua espada, pegando-a e atacando o oni. A espada fere profundamente a criatura. Ela ainda luta, mas finalmente é banida de volta para o Yomi por um golpe de katana de Artyom.

A polícia chega e a tenente Noriko pergunta o que aconteceu, vendo a destruição causada pela batida do ônibus e os corpos da japonesa e de três dos ninjas no chão. Rachel responde "Ninjas!"

 

 

 

Comments

HouseWayne HouseWayne

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.